quarta-feira, 26 de setembro de 2007

clarissa, vinte e poucos anos



Depois de Natalia me chamar, deixar scrap, mandar email e mensagem de celular, cá estou.

Ter vinte e poucos anos é isso: ser procurada em todas as mídias, escrever na internet as idéias os descalabros os sonhos e os sentimentos que não são mais tão doloridos quanto os da adolescência, mas são ainda permeados por muito do que PODE-SE ser.

Pois já somos — acho que aos vinte e poucos temos mais consciência do que somos e do que queremos ser — e temos a vantagem de estarmos ainda inventando o que seremos. Isso eu acredito que devêssemos fazer para sempre... Mas sinceramente, acho que se reinventar é mais "natural" aos vinte e poucos, talvez porque na verdade estamos nos inventando pela primeira vez, depois de sermos o que eram os que de nós cuidavam e depois de negarmos tudo o que essas mesmas pessoas eram.

Aos vinte, somos. A vida me parece, nos últimos 3 anos, tornar-se algo mais definitivo, as escolhas, se não o são, têm mais consequências na nossa própria vida, a qual, afinal pertence a só nós mesmos. Ter vinte e poucos me dá noção de responsabilidade, não essa aí, chamada de chata pelos ados, mas uma coisa que me faz pensar três vezes antes de fazer uma coisa. E ao mesmo tempo, ainda posso às vezes pensar, foda-se, vou torrar tudo, a grana, a vontade, a energia, porque afinal, tenho vinte e poucos anos, não tenho filhos, não tenho grandes obrigações fora umas pequenas contas para pagar, e eu tenho que aproveitar é agora mesmo!

Ter vinte anos é poder arriscar, mas com algum objetivo. O que é, aliás, muito melhor.

-----

E eu sou Clarissa, prima da idealizadora deste blog a quem também chamo irmã pois nos adotamos mutuamente. Tenho 23 anos, atualmente divido meus dias entre trabalhos freelancers de textos para editoras e o projeto final da minha faculdade de Produção Editorial, uma habilitação de Comunicação Social que quase ninguém conhece, o que acaba sendo bom pois sobra mais trabalho! hehe Estou aqui sonhando em atravessar de novo o Atlântico mas por enquanto me divirto matando ainda saudades dos amigos nos bares, nas casas, nos ateliês de mulherzinhas que andamos fazendo por aí. O que eu gosto mesmo é de tudo o que é bonito e bom mesmo — tenho o mais simples dos gostos, gosto só do que é o melhor. :-) Gosto de escrever para organizar um pouco a cabeça, porque muita idéia junta acaba dando bagunça. E também para comunicar. Esta é minha primeia experiência de comunicação com tanta gente que eu não conheço! Muito prazer!

3 comentários:

Nat disse...

Prazer é ter você aqui, minha prima-irmã. Seja muito bem vinda! Beijos enormes, Nat

Denis disse...

=).

Sua comunicação social me parece excelente. hehe. =P. Embora eu não tenha credenciais pra julgar =).

Nat disse...

Hehehehe Denis, tu naum presta...