terça-feira, 2 de outubro de 2007

Mulher é desdobrável, eu sou...


Em 1975, aos 40 anos, Adélia Prado escreveu:

Com licença poética


Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.

Depois de muitas lutas, algumas hipotéticas, outras veladas, as mulheres conquistaram seu espaço. Quero propor que a gente discuta aqui se isso é válido, ou seja, é realmente necessário que a mulher brigue para ter uma posição igual a dos homens? Há um movimento hoje em dia ao contrário. Mulheres de vinte e poucos anos têm largado a carreira para se dedicarem à casa e aos filhos, para depois retomá-la claro. Nossa geração aprendeu a ser ativa, não consegue ficar parada.
O Tema desse mês então é a mulher, seu papel na sociedade de hoje, seus anseios e necessidades. É bom saber o que os homens acham também...

Mãos à obra, vamos escrever pessoal!!!

6 comentários:

Felipe Lemos disse...

Bela foto, hein? Huhauhuhahauhuhauha! Eu acho que a mulher tem que ser cada vez mais independente. Não me incomoda em deixar que a mulher pague a conta do bar, aliás, eu adoro quando isso acontece, huahuhauhauhuha. Falta para algumas aprender a exercer essa independência em casa, como por exemplo, quando o macho dominante pede para ela pegar a cerveja, isso é inadmissível, pois a mulher dessa época não existe mais, ela tem que se antecipar e levar antes que seja solicitado.

Cris Lustosa disse...

pois eu acho que o homem tem mesmo eh q sustentar a gente enquanto nos estudamos, fazemos curso e pesquisa pra inventar um robo que leve cerveja e faca comida pra eles. depois a gente importa homens de outro planeta e domesticamos eles do nosso jeito. hahahahahaha e tem q ser macho mesmo. hehehehhe
ate

Lebowski disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lebowski disse...

minha opinião sobre o assunto vai aparecer um pouco machista,mas sério longe disso:
não compreendo pq as mulheres querem ¨conquistar¨ os mesmos direitos fúteis dos homens,sálarios iguais, jornada de trabalho equivalente e por ai vai..a que ponto chegou nossa era pós industrial hein..hj homens e mulheres almejam o mesmo ïdeal¨ de vida capitalista..sei la não seria melhor mulheres buscarem lutarem por idéais mais nobres e mostrarem aos homens o verdadeiro caminho pra uma sociedade melhor?....

Nat disse...

Bem, os comentários estão ótimos, mas quero que vocês escrevam de verdade ok? Estou esperando os posts! Bjs

Cris Lustosa disse...

Caro Lebowski,
nao sei se discordo de voce, nao sei se concordo. So acho q se uma mulher gosta de trabalhar muito, ela que trabalhe e sim, merece direitos iguais aos homens, deveriam ganhar o mesmo salario, estou falando em cargos que nao sao manuais pesados, porque esses, acho q nao condizem muito com a nossa contrucao fisica, mas tambem nada impede que o facamos. Qto a querer ter uma vida igual ao do homem, so para ter igualdade, tambem nao concordo, e tb acho q eh possivle algo diferente. As mulheres em geral querem ser maes e acabam nao dando todo o gas numa profissao muito desgastante como os homens fazem, mesmo os que tem familia. Mas eh bom lembrar tambem que existem mulheres que nao querem ter filhos e isso eh uma opcao delas. Dessa forma fica mais facil viver para a profissao, e ai vem a injustica da desigualdade. porque nao?