domingo, 30 de setembro de 2007

Antes tarde do que nunca!


Boa noite! Seguindo a tradição prematura da mestra milenar Nat, irei me apresentar. Me chamo Felipe, tenho 26 anos, signo de câncer com o seu ascendente em escorpião. Tenho que admitir que sou louco e conheço várias pessoas loucas também, assim como a Nat. Segundo a própria, isso é excelente, pois as pessoas loucas são normais na verdade. Eu não entendi direito, mas vindo dela, tá valendo! Rsrsrs! Trabalho atualmente com informática, mas tenho certeza que abandonarei em breve. Já trabalhei em outras áreas, mas ainda não achei aquela perfeita. Pode até ser uma utopia minha buscar algo assim, fazendo mudanças bruscas e repentinas. Procuro pensar que sou o personagem vivido por David Carradine (Caine) no seriado Kung-fu (putz, quem lembra? Aquele que tem um shaolin que está sempre com a mesma roupa, bolsa e chinelos, andando por todos os cantos, e que só tem ação no final). Um homem que passou por vários lugares e situações diferentes, conheceu várias pessoas e debateu várias opniões diferentes em relação a tudo, e mesmo assim, ainda consegue manter a sua tradição e esperança nos quais acredita. Estou empenhado em fazer cinema. Além de ser algo que de cara me assusta, ao mesmo tempo me fascina, mas gosto de desafios, encará-los são experiências esplendorosas. Agora chega de falar de mim e da minha mente louca, e vamos ao assunto principal.

O que é ter vinte e poucos anos?

E
u pensei em várias coisas e situações diferentes. Ter vinte e poucos anos aqui no Brasil é uma situação completamente diferente da do resto do mundo, porém não irei viajar tanto assim, até mesmo porque o dia está clareando e o efeito do álcool está passando, rsrsrsrsrs. De tudo o que eu pensei para escrever, se resume em ter o dobro ou triplo de incertezas para cada certeza, isto é, são vários caminhos e um só destino, como um grande labirinto (não sei se alguém já teve a oportunidade de ir a algum labirinto desses gigantescos). O mais tradicional é o labirinto redondo, onde no início, há várias passagens e não importa qual você escolha, pois sempre há outras mais a frente. Já da metade em diante, vai dificultando cada vez mais, não tendo tantas passagens assim, e algumas são grandes furadas te levando a corredores sem saída, fazendo você perder tempo e tendo que voltar bastante, às vezes até ao início. Há lendas que dizem que alguns poderosos, como condes e reis, guardavam seus tesouros em salas no centro do labirinto, e espalhavam armadilhas por todo ele, existindo somente um caminho certo e seguro. Eessa minha teoria maluca tenta explicar que nós estamos no início do labirinto e não adianta nos preocuparmos tanto, e sim curtimos, aprendermos e seguirmos em frente. Só saberemos se estamos no caminho certo (dependendo do objetivo de cada um), da metade em diante, e mesmo assim corremos vários riscos de estarmos totalmente errados e termos que voltar ao início, muitas vezes trocando o objetivo. A melhor estratégia é a perseverança, a ousadia, e a confiança em si mesmo. Sem esses ítens você não sai do lugar, e pode ficar se lamentando para o resto da vida sobre algo que poderia ter feito, ou entrar em uma passagem sem saída e não ter forças para recomeçar do ponto de partida, continuando ali com rotina cotidiana que te mata a cada dia, por não ser aquela que você galgava. Aprendi nesses meus vinte e poucos anos que vale apena continuar tentando, mesmo que eu nunca consiga alcançar tais objetivos, mas pelo menos eu tentei e vivi para contar os caminhos que percorri e tudo o que eu aprendi, terminando a vida com alma de um guerreiro. Existe o ditado que diz que "A vida é uma grande roda gigante.", agora eu tomo a liberdade de alterá-lo e dizer que "A vida é um grande labirinto!".


3 comentários:

Nat disse...

"Inventamos a linha reta
e queremos que nossa vida
seja uma linha reta.
A Vida não é geometria,
mas uma farra de formas.
Há coisa mais monótona
do que o corredor?
Ele é ótimo para as correntes de ar
e os fantasmas.
A vida é um labirinto
cheio de passos e de impasses.
A vida é o caos que o homem tenta
inutilmente disciplinar.
Só o caos é criativo.
A ordem produz rotinas
e é repressora do inédito.
Quando o caos se cansa,
vira ordem."

Valter da Rosa Borges - parapsicólogo pernambucano.

Cris Lustosa disse...

caraca! acabei de descobri de onde veio a minha inspiracao para o "Antes tarde do que Lucas" hahahahaha. nem tinha me tocado que tinha um post com "antes tarde do q nunca". eu acho q eu li isso e imediantamente tive a ideia, e foi tao forte que eu nem sabia mais da onde vinha... q bom!! a inspiracao eh assim ne, vem q nem vento! beijos

clarissa disse...

O labirinto: assustador e excitante. Ótima metáfora.
Penso só que neste, da vida, há vários caminhos que chegam ao objetivo, mas, tais quais os perigos postos por reis nos caminhos errados, na vida esses perigos estão ali, mas também nos "caminhos certos". Alguns realmente assustadores, outros só aumentados por nossos próprios medos...